Mapear a Web

Descrição

Nesta atividade de discussão/mapeamento/desempenho, os participantes compartilham o que já sabem sobre a Web e colaboram para preencher lacunas e responder à perguntas. Eles trabalham juntos para organizar essas informações em um “mapa” visual e espacial que mostra as relações entre muitos elementos da Web, de servidores a sites, a tweets e telefones celulares. Em uma seção final da atividade, os participantes “executam a rede” conectando todos os elementos.

Objetivos dE Aprendizagem

  • Explicar as partes da Internet estão relacionadas

  • Demonstrar como a informação viaja através da Web usando manipuladores, esboços ou através de movimentos físicos

  • Localizar um endereço IP e explicar quais informações são transmitidas

Tempo Necessário

45 minutos a 1 hora dependendo do tamanho do grupo

Público-alvo

Pode ser adaptado para públicos de 13 anos ou mais; com níveis variados de experiência com a web.

Materiais

  • Notas autoadesivas

  • Lápis, marcadores

  • Placas pré-fabricadas com os seguintes rótulos:

    • “Salto 1: roteador local”

    • “Salto 2: provedor de serviços de Internet”

    • “Salto 3: o servidor”

Habilidades de Alfabetização Web

  • Esta é uma atividade introdutória às habilidades de alfabetização web

Habilidades do Século XXI

  • Colaboração

  • Comunicação

  • Solução de problemas

Introdução

[5-10 min]

  • Se os participantes não se conhecem, o(a) facilitador(a) pedirá a cada membro do grupo que se apresente e responda à uma pergunta para quebrar o gelo (como comida favorita, jogo favorito, qual passeio ou personagem de desenho animado você mais se parece).

💡 Dica! A questão do quebra-gelo ajuda os participante a se conhecerem e sentirem-se mais à vontade durante a discussão; pode – mas não precisa ser – relacionado à alfabetização web.

💡 Dica! O(A) facilitador(a) deve fazer uma breve demonstração.

  • O(A) facilitador(a) aborda e conecta brevemente o tópico desta sessão a uma grande ideia. Explique isso:

    • A internet é provavelmente uma das tecnologias mais importantes, se não a mais importante, da nossa era.

    • É a principal maneira em que o nosso mundo armazena e compartilha todos os tipos de informações (informações pessoais, informações financeiras, informações médicas, informações científicas e muito mais).

    • Por isso, é importante entendermos de maneira básica como a Internet funciona.

    • Quando sabemos disso, podemos tomar melhores decisões sobre como a usamos e quais informações compartilhamos.

  • O(A) facilitador(a) convida os participantes a discutirem o modo como “vemos” ou entendemos a Internet. Use as seguintes perguntas para iniciar a conversa:

    • Como é a Internet? Podemos vê-la?

    • Se você tivesse que tirar uma foto, como seria a aparência?

    • Quais são algumas metáforas da Internet que você ouviu (ou seja, surfar, tubos, teia de aranha, aranhas e rastreadores)?

    • Quais metáforas que funcionam melhor para você?

    • Você pode propor novas?

Brainstorm: Elementos do Mapa

[5 min]

  • O(A) facilitador(a) explica que os participantes podem pensar na Internet como um sistema, uma coleção de partes que criam um todo funcional. Os participantes podem trabalhar juntos para criar um mapa desse sistema!

  • O(A) facilitador(a) distribui notas autoadesivas para o grupo, ou se o grupo for pequeno o suficiente, eles podem debater juntos.

  • Os participantes escrevem diferentes componentes do sistema, cada um em uma nota autoadesiva.

💡 Dica! Se os participantes tem dificuldade para começar, eles podem se perguntar: quando eles estão “on-line”, que tipo de tecnologia usam? O que faz parte imediatamente de sua conexão em seu ambiente? (ou seja, seu computador, também conhecido como cliente, smartphone, modem, roteador).

  • Quais são as outras partes dessa conexão – aquelas que talvez não vejam? (ou seja, Wi-Fi, cabos, servidores, torres de celular, “a nuvem”).

  • Quando on-line, o que estão vendo? O que estão usando? (navegadores, sites, sites específicos, aplicativos ou páginas, imagens, mídia, todos os tipos de conteúdo, e-mail).

  • Quais são as outras palavras ou termos que ouviram sobre a Web que não discutimos? (pacotes, largura de banda, https, HMTL, URL, JavaScript, etc).

  • Quais outras coisas podem estar conectadas à Web que ainda não mencionaram? (pense no espaço IOT emergente – carros autônomos, geladeiras, rastreadores fitness, sistemas de segurança, semáforos, etc).

💡 Dica! O(A) facilitador(a) deve certificar-se de que os principais termos estejam presentes: computador cliente, servidor, site, página web, smartphone, e-mail, rede, etc.

Definição dos Termos da Web

[5 min]

  • Se alguns dos termos que o grupo gerou não forem familiares, reserve algum tempo para defini-los juntos. O(A) facilitador(a) pode consultar abaixo o glossário de termos criado pelo CERT.br.

Dica! A atividade de apresentação rápida sobre as Mecânicas da Web é uma ótima maneira de trabalhar com algumas dessas definições. Link original

Montando o Mapa

[5 min]

  • Colocando notas autoadesivas em um quadro, o grupo trabalha em conjunto para criar um diagrama da Internet. Para ajudá-los a fazer isso, use os seguintes prompts.

💡 Dica! Você também pode usar materiais 3D táteis, como papel de parede, corda ou papelão para criar um modelo.

  • Como os diferentes elementos estão relacionados? Por exemplo, muitos computadores clientes se conectam a um único servidor.

  • Onde as informações são armazenadas ou mantidas e como elas são transportadas?

💡 Dica! Se os participantes forem muito novos nesses conceitos, o(a) facilitador(a) poderá montar o mapa, explicando cada etapa, os relacionamentos e como a informação se movimenta pelo sistema.

Execute a rede

[15-20 min]

  • O(A) facilitador(a) deve revisar o seguinte:

  • Vemos em nosso mapa que a “Internet” é um sistema de computadores em rede e a “Web” está na Internet.

  • A Web é o sistema interconectado de sites e páginas, armazenado em vários computadores ao redor do mundo.

  • Usamos um navegador web, como o Firefox, para acessar páginas na web.

  • Sempre que você pedir à Internet para fazer algo – inserindo um endereço da Web em um navegador, assistir a um vídeo no YouTube ou verificar um e-mail no seu smartphone – seu pedido “salta” por vários dispositivos de rede, como roteadores, comutadores e servidores a caminho do seu dispositivo para o servidor do site.

  • Mostre estes vídeos introdutórios para dar aos participantes um pouco mais de contexto.

  • Depois de assistir aos vídeos, reserve alguns minutos e peça aos participantes para compararem e contrastarem o que aprenderam ao assistir ao vídeo, em comparação com o que imaginaram juntos anteriormente. Quão perto estávamos? O que nós deixamos de fora? O que nos surpreendeu?

  • O(A) facilitador(a) explica ao grupo que, para ajudar a entender esse caminho, eles vão exibir uma versão humana de informações que se movem pela Internet, em uma pista de obstáculos.

  • As informações vão viajar de um:

    • computador local (cliente) para

    • uma rede de acesso local para

    • a Internet para

    • o site da sua escolha

  • Comece mostrando aos participantes através de um modelo do sistema. Peça ao grupo que junte a placa “Meu computador” e peça três voluntários. Entregue aos três voluntários as placas rotuladas:

    • “Salto 1: roteador local”

    • “Salto 2: provedor de serviços de Internet”

    • “Salto 3: o servidor”

  • Peça aos voluntários para se espalharem por toda a sala.

  • Explique que:

    • as placas representam diferentes “saltos” pelos quais uma solicitação da Web deve passar antes de chegar ao servidor que hospeda o site que o usuário está procurando.

    • O restante dos participantes são pacotes de código contendo solicitações da Web em linguagem de computador especial, tentando chegar ao servidor na outra extremidade da sala.

  • Escolha um desses participantes “pacote” para atuar como modelo para o restante do grupo antes que todos iniciem a atividade. Dê aos participantes o seguinte cenário:

  • Estou no meu computador e decido assistir a um vídeo no YouTube. Depois de digitar o endereço da Web, meu computador converte “youtube.com.br” em um tipo especial de solicitação codificada (chamada HyperText Transfer Protocol ou HTTP) que todos os computadores podem ler.

  • Meu computador divide esse código em vários “pacotes” para enviar pela rede… nosso participante voluntário representa um desses pacotes.

  • Peça ao participante voluntário para caminhar até o primeiro salto e explique:

    • Primeiro, o pacote passará por dispositivos de rede local, como roteadores e modems em seu prédio.

    • Os dispositivos da rede local enviam o pacote para a Internet.

  • Peça ao participante que ande e explique o próximo salto: depois que um pacote chega ao provedor de serviços de Internet (ISP), ele é enviado até um dos roteadores do YouTube.

    • Peça ao participante que ande e explique o próximo salto. Depois que o pacote passar pelo roteador do YouTube, ele será enviado para um servidor na sede da empresa que transmitirá meu vídeo. Explique:

    • No servidor, para que o vídeo seja transmitido em meu computador, o computador do YouTube também converte meus vídeos em pacotes, que viajam todo o caminho de volta para o meu computador no mesmo caminho dos dispositivos de rede necessários para acessar o YouTube.

  • Peça ao participante de exemplo que caminhe de volta para você, certificando-se de fazer uma pausa em cada salto no caminho de volta.

  • Agora, vamos aumentar a complexidade da rede – afinal, temos milhões e milhões de servidores e clientes por aí, não apenas alguns! Vamos atribuir 2 ou 3 (ou mais participantes) para atuar como “salto 3” – o servidor. E recebemos mais alguns usuários fazendo solicitações de computadores clientes e mais participantes atribuídos a pacotes.

  • Atribua a cada servidor uma função – por exemplo, um servidor pode ser um BancoDoBrasil.com.br ou Americanas.com.br ou o ingressorapido.com.br ou o catálogo on-line da biblioteca local.

💡 Dica! Você pode debater isso perguntando aos participantes quais sites eles usam e os tipos de coisas que solicitam desses sites.

  • Escreva os nomes dos servidores nos cartões e peça aos “servidores” para segurá-los.

  • Peça aos participantes que escrevam pedidos, como “lista de brinquedos para cães à venda na Americanas” ou “ingressos para o show da Anitta em IngressoRapido.com.br” em cartões – eles os entregarão aos “pacotes”.

💡 Dica! Pergunte aos participantes se eles querem criar um identificador na solicitação deles para garantir que a solicitação seja devolvida ao computador certo.

  • Agora é hora de todos tentarem a pista de obstáculos! Explique:

    • Os usuários/computadores clientes entregam seus pedidos aos “pacotes”.

    • Os “pacotes” devem parar em cada “salto” antes de passar para o próximo.

  • espere, há uma “pegadinha”! Antes que os pacotes possam ir de um pulo para outro, eles precisam mostrar seu pedido para o “pare”, que é um tipo de gatekeeper (barreira/porteiro).

  • No salto do Provedor de Internet, o participante que atua como um Provedor de Internet precisará direcionar os pacotes para os servidores corretos; no caminho de volta, ele precisará direcionar o pacote para o cliente correto.

  • Os servidores têm pouco tempo para marcar ou alterar o cartão do pacote com as informações solicitadas antes de enviar o pacote de volta ao cliente.

  • Peça aos “pacotes” para formar uma linha de arquivo único e percorrer a pista de obstáculos o mais rápido que puderem! Você pode ter alguém marcando quanto tempo leva para todo mundo atravessar o percurso e ver quem é o mais rápido.

💡 Dica! Para tornar a pista de obstáculos mais interessante, você pode colocar “espiões do governo” entre os saltos. Este recurso da EFF explica como terceiros podem interceptar dados entre os saltos. Converse com seus participantes sobre quais dados estão protegidos, o que e quando está vulnerável.

💡 Dica! Se o seu grupo for grande o suficiente, encha o Provedor de Internet com pedidos para um determinado servidor.

💡 Dica! Durante a atividade, você pode fazer aos participantes as seguintes perguntas:

O que acontece em cada “salto”? Você acha que um pacote na vida real se move mais rápido pela Internet do que você?

  • Observação: se você não tiver espaço físico para essa atividade, os participantes poderão entender como as partes da Web interagem usando objetos como jogo de cartas, canudos, cordas ou outros objetos.

Opcional: endereços IP

[5 min]

  • Pergunte ao grupo quantos computadores ou dispositivos estão conectados à Internet.

  • Como você acha que cada computador está identificado ou localizado na rede?

  • Discuta a ideia de um endereço – o que torna um endereço (como um endereço de rua ou um endereço de e-mail) útil?

  • Explique que é importante que o endereço seja único: ele indica uma casa, um apartamento ou uma pessoa específica, uma mensagem enviada para esse local ou apenas uma pessoa.

  • Introduza o conceito de endereços IP: cada dispositivo ou computador em uma rede ou on-line possui um endereço IP (ou “Internet Protocol”, em português “Protocolo da Internet”).

  • É uma maneira amigável de descrever um endereço de um site – computadores gostam de números!

  • Endereços IP possuem 4 conjuntos de números em uma string.

  • Se digitarmos isso em um navegador, ele será resolvido em um endereço da web amigável.

Dica! Se um computador estiver disponível, demonstre como a digitação de um endereço IP leva você a um nome de domínio amigável para humanos.

Reflexão e Revisão

[5 min]

  • Para encerrar, o(a) facilitador(a) pode fazer perguntas de reflexão como:

    • O que acontece na Internet quando você digita um endereço da Web e pressiona enter?

    • Quais são as “partes” da Internet?

    • Como grandes quantidades de informação chegam por partes na rede mesmo com uma largura de banda baixa?

    • Qual a diferença entre a Internet e a World Wide Web?

  • Não deixe de agradecer aos participantes por sua participação, ideias e percepções.

Reflexão da Experiência de Aprendizagem

[5 min]

  • O que você gostou sobre esta atividade?

  • Se você puder ensinar essa atividade a um público específico, o que você mudaria no processo, estrutura ou conteúdo para melhor atender às necessidades desse público?

  • Incentive que os participantes façam a avaliação on-line da Casa Hacker diretamente ao fim da atividade no endereço: https://casahacker.org/feedback, este endereço é encontrado facilmente no verso das credenciais.